Entenda os cuidados de piscinas

A seguir serão descritos, de maneira simples, os procedimentos básicos, dicas e segredos para se manter uma piscina sempre saudável.

Para manter a piscina em bom estado ou saudável deve-se empregar 3 indispensáveis processos:

  • Limpeza de impurezas;

  • Equilíbrio químico; e

  • Sanidade

 

O processo que exige mais atenção e técnica é o equilíbrio químico!

 

Como será explicado adiante, o tratamento químico resume-se ao equilíbrio do pH, ao nível de cloro e à aplicação de algicidas. Porém, pode ocorrer situações mais complexas que exigem outras providências alertadas na sequência.

Além dos equipamentos instalados na piscina, como bomba, filtro, pré-filtro e filtro de superfície (skimmer), deve-se possuir os seguintes dispositivos / acessórios: medidor de pH e cloro livre, medidor de concentração de cálcio, aspirador, peneira, escovão, balde, bucha, vassourão, luva, máscara, óculos de proteção e sombrite.

 

Também será necessário a utilização dos seguintes produtos químicos: cloro (uso frequente), algicida (uso frequente), elevador de pH ou redutor de pH (uso somente se necessário) e clarificante (uso somente se necessário). Além desses produtos e acessórios básicos, existem outros de uso menos frequente.

Para informações mais pormenorizadas de como cuidar de piscina, consultar os livretos da hth® e da GENCO®.

 

Os sites das referidas empresas podem ser encontrados outros informativos, calculadoras e até cursos on line!

Limpeza de impurezas físicas

 

Antes de iniciar a limpeza física da piscina, recomenda-se varrer o entorno, uma vez que folhas, galhos e outras impurezas podem ser levadas para dentro da água pela ação do vento.

Caso a utilização da piscina seja preferencialmente nos finais de semana, recomenda-se durante a semana (e no inverno) cobrir a piscina com sombrite, o mesmo utilizado em estufas, pois evita a queda de impurezas, facilitando a limpeza semanal.

 

Recomenda-se a utilização de sombrite entre 50% a 75% (percentual de obstrução da luminosidade). Desse modo, quanto maior o percentual, menor é a malha, e consequentemente maior o bloqueio de impurezas.

O sombrite deve ser fixado na parte externa da piscina de maneira que não haja espaço para passagem de fragmentos de folhas, insetos, etc. A figura ao lado mostra um sombrite 50% fixado nas bordas da piscina.

As impurezas físicas como, sujeiras decantadas no chão da piscina, folhas e marcas nas bordas, devem ser retiradas por meio de aspiração, utilização de peneirão e limpeza de bordas, respectivamente.

Diariamente o filtro deve funcionar entre 2 (inverno) e 6 horas (verão), para tanto recomenda-se a instalação de um timer (o analógico funciona bem, mas deve-se reajustá-lo em caso de falta de energia) que liga e desliga a bomba automaticamente.

Piscina coberta com sombrite
 

A experiência mostra que é melhor programar para que a filtragem ocorra de madrugada, pois além de mais fresco, o que contribui para o funcionamento da bomba, temporais e variações de voltagem tendem a ser reduzidos.

 

Temporais ocorrem geralmente no final da tarde!

 

É muito importante a instalação de disjuntores para que em caso de curto-circuito a energia seja interrompida.

 

Um risco que pode gerar a queima da bomba, ocorre durante o restabelecimento de eventual queda de energia, quando o fornecimento elétrico ocorrer somente em uma fase enquanto o timer estiver ativado (bomba ligada).

Ao montar a bomba deve-se prever a instalação elétrica projetada para sua remoção periódica para manutenção preventiva em loja especializada de bombas elétricas (aquelas que enrolam motores queimados).

Equipamentos de piscina
Timer para piscina
Motobomba de piscina

O pré-filtro localiza-se antes da bomba e tem a função de retirar as impurezas maiores. Sua limpeza deve ser frequente, pois o entupimento pode comprometer a bomba.

Existem outros tipos de filtro, porém aqui só abordaremos o filtro de areia, informações sobre os demais podem ser obtidas nos livretos indicados no início deste tópico.

A cada 2 ou 3 anos recomenda-se trocar a areia antiga do filtro por uma nova, operação que pode ser efetuada sem auxílio profissional, para tanto é necessário retirar o cabeçote do filtro (local onde fica a alavanca de comando do filtro), desrosqueando as porcas que o prendem.

 

Depois de retirar a areia velha, despeja-se entre 1,5 a 2 sacos de 25 kg de areia cada, conforme a especificação do filtro, e finalmente instala-se novamente o cabeçote, apertando com muito cuidado as porcas, para não espaná-las.

Pré filtro de piscina
Filtro de piscina

O filtro geralmente possui 5 posições (lembre-se que a alteração de posições só pode ocorrer com a bomba desligada):

 

- filtrar, utilizada para limpar o fundo da piscina com o rodo ou deixar em funcionamento com o ralo do fundo aberto;

- lavar, trata-se de uma reversão que lava a areia do filtro e joga a água para o esgoto. Deve ser utilizada quinzenalmente por 1 a 2 minutos por vez;

- pré-filtrar, necessariamente após a utilização da função lavar, esta operação remove a sujeira do fundo do filtro (15 segundos por vez);

- recircular, sua função é circular a água sem passar pelo filtro;

-drenar, esvazia a piscina sem que a água passe pelo filtro.

O processo de aspiração do fundo da piscina deve ser semanal com o filtro na posição “filtrar”.

Filtro de piscina
Comando do filtro de piscina

Em locais onde não há restrição de água, ou quando há captação de água de chuva para enchimento da piscina, pode-se limpar o fundo da piscina com o filtro na posição drenar (sem o acionamento da bomba).

 

Para aspirar o fundo da piscina escoando a água gasta-se em média 5% da capacidade da piscina, ou seja em 27 metros cúbicos drena-se 1,35 metros cúbicos.

Equilíbrio químico

O equilíbrio químico, além de deixar a água saudável, aumenta a eficiência dos produtos químicos, torna os banhos mais agradáveis e evita o excessivo desgaste dos equipamentos e da piscina.

Para alcançar o equilíbrio da água, deve-se utilizar produtos químicos.

 

Cuidado! Manipule produtos químicos em locais arejados e utilize luvas, máscara e óculos de proteção.

 

Nunca misturar produtos químicos no mesmo recipiente!

A primeira providência, antes do início do tratamento,  será calcular o volume da piscina, uma vez que as dosagens para correção da água sempre são descritas por metros cúbicos (1 metro cúbico = 1.000 litros), para tanto pode-se aplicar as fórmulas indicadas para cada tipo de piscina.

Os cálculos dos volumes de piscinas retangulares e redondas são simples, basta aplicar as fórmulas indicadas na figura. No caso de piscinas irregulares, existe a necessidade de repartir a piscina em cubos e cilindros para chegar ao volume aproximado. 

 

 

Outro procedimento anterior à correção dos níveis químicos é a medição do pH e do cloro livre por meio de medidor que pode ser adquirido em qualquer casa que comercializa produtos para piscina.

Veja na figura duas situações em que as colunas dos medidores marcam a quantidade de cloro livre e do pH em comparação com os níveis ideais recomendados!

Sol
Figura que mostra as fórmulas para calcular o volume de piscinas
Medidor de pH e cloro livre
Medidor de pH e cloro livre
 

pH

O equilíbrio do pH é o cuidado mais importante numa piscina!

 

O pH mede a quantidade de concentração de hidrogênio na água, sendo que inferior a 7,0 a água torna-se cada vez mais ácida e superior a 7,0 cada vez mais básica. A tabela mostra as implicações de desequilíbrio de pH.

O pH se altera na presença de resíduos de banhistas, produtos químicos aplicados, origem da água, temperatura e resíduos do ar.

Desse modo, semanalmente deve-se medir o pH e corrigi-lo se for o caso, utilizando a dosagem descrita no rótulo da embalagem do produto indicado para cada caso específico.

 

Se o pH estiver baixo, deve-se utilizar um elevador de pH, caso contrário um redutor de pH. Esses produtos são encontrados facilmente no comércio!

Tabela mostra as implicações na água da piscina com pH auto e com pH baixo
 

Alcalinidade

 

Diferentemente do pH (que indica a presença de hidrogênio na piscina) a alcalinidade está relacionada à presença de carbonatos, bicarbonatos, hidróxidos e outros.

O equilíbrio da alcalinidade tem a finalidade de manter o pH estável, dentro dos parâmetros entre pH 7,2 a 7,8, ou seja, trata-se de um fenômeno que permite a água resistir a grandes variações do pH.

A alcalinidade deve estar entre 80 e 120 ppm. Quando está fora dos parâmetros deve-se corrigir, utilizando produtos vendidos em lojas do ramo de piscina.

Para obter mais informações sobre pH e alcalinidade, além dos livretos indicados no início deste tópico, pode-se consultar dois artigos publicados no site da Associação Nacional dos Fabricantes Construtores de Piscinas e Produtos Afins:

 

Dureza cálcica

Significa a quantidade de sais de cálcio dissolvidos na água, cuja faixa ideal é de 200 a 400 ppm de dureza cálcica.

 

Deve-se medir, com kits encontrados no comércio. 

Abaixo de 200 ppm de dureza cálcica ocorre  desgaste de rejuntes entre azulejos e corrosão de peças de equipamentos.

Acima de 400 ppm de dureza cálcica ocorre turbidez da água e incrustações calcárias nos equipamentos.

 

Geralmente, a água da rede pública possui baixo teor de cálcio, necessitando que se utilize produtos que elevam o cálcio da água.

 

Por outro lado, a utilização frequente de hipoclorito de cálcio (ver adiante na seção cloro) pode elevar o teor de cálcio acima de 400 ppm, gerando a necessidade de substituição de parte da água da piscina.

Informações aprofundadas podem ser obtidas nos livretos indicados no início deste tópico.

 
Piscina
Piscina

Sanidade da água

Para se ter uma água saudável deve-se deixá-la livre de bactérias, vermes, fungos, algas, matéria orgânica e metais em suspensão, por meio da utilização de cloro, algicida e clarificante.

Cloro

 

A desinfecção de piscinas destrói microrganismos, como bactérias, vermes, fungos, algas, etc. e oxida ou queima matéria orgânica e metais em suspensão.

 

O que garante a sanidade é a presença de cloro disponível, que representa uma quantidade de cloro que ultrapassa a necessidade imediata de eliminação de microrganismos e matéria orgânica.

 

Ou seja, o cloro disponível representa uma reserva de cloro para agir durante um determinado tempo, até que se precise repetir o tratamento.

Deve-se seguir a recomendação da embalagem do produto e sempre que necessário corrigir os níveis de cloro na piscina.

Recomenda-se diluir o cloro granulado em um balde de plástico e incorporá-lo sobre a superfície da água, deixando a água filtrar durante no mínimo 6 horas.

No caso de haver contaminação da água (fezes ou animais mortos), grande quantidade de banhistas, crescimento de algas, muita chuva, deve-se realizar uma supercloração com dosagens acima da utilizada para manutenção.

Recomenda-se utilizar cloros a base de hipoclorito de cálcio quando se necessita uma supercloração, porém esse tipo de cloro é instável e se perde em pouco tempo por ação dos raios ultravioletas. Esse tipo de cloro é muito bom para piscinas cobertas.

Adicionalmente, o uso frequente de hipoclorito de cálcio pode elevar os níveis de cálcio acima do recomendado. Por outro lado, no caso de baixos teores de cálcio, o hipoclorito de cálcio adiciona cálcio à água (ver item anterior dureza cálcica).

 

Para maior presistência do cloro livre pode-se utilizar o Dicloroisocianurato de Sódio mais estável que o anterior, perdendo-se mais vagarosamente.

 

Como a cloração é um dos processos mais importantes para se deixar a água saudável, recomenda-se a leitura dos folhetos indicados no início deste tópico.

 
 
Piscina
Sol

Algicida

Algas se desenvolvem quando o equilíbrio da água está alterado, principalmente na falta de cloro residual, em épocas quentes do ano e com chuvas frequentes.

 

Recomenda-se utilizar algicida semanalmente, não sem antes corrigir o pH e a alcalinidade.

 

Em caso de formação de água verde deve-se proceder da seguinte maneira:

  • Efetuar as medidas de pH e cloro;

  • Ligar o filtro na posição filtrar;

  • Corrigir a alcalinidade e o pH;

  • Efetuar uma supercloração;

  • Adicionar uma dosagem de choque algicida sem cobre. Caso contrário utilizar algicida no dia seguinte;

  • Passar o escovão por toda a piscina por dentro;

  • Após 1 hora adicionar clarificante

  • Deixar o filtro ligado por 6 a 12 horas;

  • Desligar a bomba e deixar o material suspenso decantar por mais 12 horas;

  • Aspirar o fundo da piscina drenando a água (por gravidade) caso haja muita sujeira no fundo.

 
Piscina

Clarificação e floculação

Trata-se do processo de remoção da turbidez da água, aglomerando e depositando no fundo da piscina as partículas em suspensão.

A clarificação é necessária quando a água não chega a estar turva, mas está sem brilho.

 

A floculação é necessária para águas túrbidas.

 

A clarificação e a floculação utilizam o mesmo produto, sendo que para o segundo processo a dosagem é maior.

 
Paisagem - horizonte

Segurança

O valor da piscina quando se pensa em recreação é indiscutível, mas não se pode deixar de observar algumas questões de segurança.

Acidentes ocasionados por escorregamento e afogamento podem ser evitados com atitudes responsáveis e previdentes dos banhistas e responsáveis. 

Existem vários relatos de acidentes causados por choques elétricos, sobretudo na casa de máquinas, onde umidade e eletricidade convivem de maneira próxima.

Outro foco de potencial acidente é o manuseio e a armazenagem de produtos químicos, principalmente em relação ao cloro.

Cloro disponível em um balde sem vigilância pode ser ingerido por uma criança e causar grave intoxicação.

Cloro pode explodir se sua tampa não estiver bem fechada e houver penetração de umidade.

Piscina